LateralProgramaçãoSão Paulo

Quinteto Metal Arte presta homenagem a Gershwin

Participação da soprano Cristina Allemann e do pianista Mário Tirolli

 Tributo a Gershwin” é a homenagem que o Quinteto Metal Arte realiza ao compositor norte-americano George Gershwin no dia 19, domingo, a partir das 18 horas, no Teatro Guarany, na Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico de Santos. Sob direção artística do maestro Roberto Farias, o espetáculo apresenta versões para quinteto de metais de peças escolhidas da ópera “Porgy and Bess” e de “Um americano em Paris”, além de uma versão inédita para o clássico “Rhapsody in blue” para quinteto de metais e piano, tendo como solista convidado o pianista Mário Tirolli.

Outra convidada do grupo é a soprano Cristina Allemann, que irá interpretar canções de Gershwin que receberam letra de seu irmão Ira, como “Just another rumba”, “The half of it”, “Dearie’Blues”, “It ain’t necessarily so” e “Love is here to stay”. Os arranjos são de Jack Gale (“Porgy and Bess”), Jean François Taillard (“Um americano em Paris”), Fernando Britto (canções) e Reese Blaskowski (“Rhapsody in blue”).

Os ingressos estão a R$ 40,00, com meia entrada para estudantes, idosos e professores da rede pública. Além da bilheteria do teatro, os ingressos podem ser obtidos no link https://www.bilheteriaexpress.com.br/tributo-a-gershwin-santos.html.

 

 

PROGRAMA

Parte I – Quinteto METAL ARTE (solo)

George Gershwin
Selections from Porgy and Bess
– Arranjo de Jack Gale

An American in Paris
– Arranjo de Jean-François Taillard

Parte II – Quinteto METAL ARTE & Cristina Allemann (soprano)

George Gershwin
Just Another Rumba; The Half of It, Dearie’s Blues; It ain’t necessarily so e Loves is here to stay
– Arranjo de Fernando Britto

Parte III – Quinteto METAL ARTE & Mário Tirolli (piano)

George Gershwin
Rhapsody in Blue
– Arranjo de Reese Blaskowski

 

SERVIÇO 

 

Quinteto Metal Arte presta homenagem a Gershwin

Dia 19 de maio, domingo, às 18h

 

Teatro Guarany (Praça dos Andradas, nº 100, Centro Histórico de Santos)

Ingressos: R$ 40,00 / (meia entrada R$ 20,00)

https://www.bilheteriaexpress.com.br/tributo-a-gershwin-santos.html

 

 

 

Quinteto Metal Arte

Iniciou suas atividades em 1991. Seu repertório abrange cinco séculos de música de concerto, entre obras originais, transcrições e arranjos, entre gêneros musicais que vão do barroco ao contemporâneo, do erudito ao popular, com apresentações realizadas em espaços como Sala São Paulo, Memorial da América Latina, Festival de Inverno de Campos do Jordão, Sesc e, Sesi, além de catedrais, museus, igrejas e universidades.

Roberto Farias – maestro – direção artística

Diretor artístico do Metal Arte desde 2017, é também coordenador dos Grupos Artísticos Oficiais de Cubatão. Também compositor, é formado pela Faculdade Música de Santos, onde mais tarde assumiu as cadeiras de Literatura Instrumental, Apreciação Musical e Instrumento Superior. Estudou Regência com o maestro alemão Paul Bernard, tendo frequentado classes de renomados mestres como William Nichols, Gerard Devos, Fábio Mechetti e o célebre Eleazar de Carvalho.

Com vasta experiência atuou como regente titular e/ou diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Santos, do Coral Petrobrás-RPBC, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, sendo o responsável pelo seu projeto de profissionalização, consolidado em 1989, sendo o seu regente titular até o ano de 2000.

Professor de Regência Orquestral do Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (a Universidade Livre de Música), hoje Emesp – Escola de Música do Estado de São Paulo, atuou como professor de regência e prática de banda sinfônica nos mais importantes festivais de música do país, entre eles, o Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival de Música de Londrina, Oficina de Música de Curitiba, Curso Internacional de Verão de Brasília, Festival de Inverno de Antonina – PR e Painel FUNARTE para instrumentistas e regentes de bandas.

Como regente convidado, esteve à frente da Banda Sinfônica da Cidade de Buenos Aires, da Banda Sinfônica da Província de Córdoba e da Banda Sinfônica do Conservatório Superior de Música Felix Garzon, na Argentina, como também da Banda Sinfônica de Montevidéu, no Uruguai. Atuou como convidado junto à Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica de Americana, Orquestra Jazz-Sinfônica do Estado de São Paulo, das Bandas Sinfônicas Jovem do Estado de São Paulo da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina, da Polícia Militar do Estado de São Paulo, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, da Universidade Federal de Minas Gerais e Banda Sinfônica da Cidade de Natal – RN.

Tem apresentado suas composições tanto no Brasil quanto no exterior, com destaque para o Festival de Música Erudita Brasileira na Romênia. Sua peça “Tres Escenas de Amor” (para duo de violino e viola) mereceu a atenção do pintor romeno Niculae Adel que dedicou-lhe um quadro na sua exposição “Sinfonia & Cor” (maio de 2017), contando com a participação musical do Duo Varadiensis (violino e viola), responsáveis pela estreia europeia da peça.

 

Silvio Flórido – Trompete

Bacharel em Trompete pela Faculdade Mozarteum de São Paulo. Iniciou seus estudos com o maestro Roberto Farias em Cubatão. Mais tarde foi para São Paulo onde começou a estudar com seu principal mestre Reginaldo Farias (OSESP). Em master classes e festivais teve como professores Gilberto Siqueira (OSESP), Nailson Simões (UNIRIO), Anor Luciano, Winton Marsalis, Walter Hamberg (Chicago), Fred Mills (Canadian Brass), Malte Burba, Charles Schlueter (Boston Symphony), Philip Jones Brass Ensemble e Mathias Wolf (German Brass).

Começou como músico na Orquestra Sinfônica de Santo André, onde figurou como 1º trompete. Como convidado, já participou de vários grupos profissionais dentre eles: OSESP; Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra de Câmara Nova Sinfoniêta, Orquestra Sinfônica da Bahia e Metal Brasil. É também o diretor executivo do Quinteto Metal Arte, professor de trompete no Instituto Baccarelli e solista em recitais.

 

Albert Santos – Trompete

Bacharel em trompete pela Faculdade Mozarteum de São Paulo e Licenciatura em Pedagogia pela Faculdade da Aldeia de Carapicuíba. Foi aluno da Universidade Livre de Música, hoje EMESP, onde também atuou como professor.

Primeiro trompete da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo de 2002 a 2017. Integrou a Orquestra Experimental de Repertório (Teatro Municipal de São Paulo) de 1997 a 2005. Foi bolsista da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo de 1993 a 1997. Participou por várias vezes como músico convidado da Orquestra Sinfônica da Rádio e TV Cultura (RTC). Atua como músico extra da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (OSUSP), Orquestra Sinfônica Municipal de Jundiaí, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) e Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo (OSM).

Como docente, lecionou na Universidade Livre de Música (ULM) entre 2004 e 2009, na Fundação Cassiano Ricardo em São José dos Campos, no Centro Livre de Música em São Bernardo do Campo e Projeto Guri. Atualmente é professor de trompete do Instituto Adventista de Ensino, Projeto Guri Santa Marcelina , músico do Quinteto Metal Arte ( 2018).

 

Francisco Duarte – Trompa

Trompa solo da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. Em 2007, ingressou no curso de música na Fundação das Artes de São Caetano do Sul, onde concluiu o curso técnico. De 2010 a 2014 foi músico da Orquestra Sinfônica de Heliópolis, ligada ao Instituto Baccarelli. Participou de festivais como Festival de Poços e Festival de inverno de Campo de Jordão, onde teve como professores os seguintes mestres José  Deusenil (Orquestra Teatro Municipal de São Paulo), Mário Rocha (1ª trompa solo Orquestra Teatro Municipal de São Paulo), Luiz Garcia (1ª trompa solo da OSESP) e Boštjan Lipovšek ( Mahler Chamber Orquestra). Além do Quinteto Metal Arte, é também instrumentista da Orquestra Jazz Sinfônica e solista em recitais e concertos.

 

Reginaldo Thimóteo – Trombone tenor

É Mestre em Práticas Interpretativas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Participou como primeiro trombone na Camerata Paulistana e Coral Paulistano Mário de Andrade. Como músico convidado/extra, atuou junto à Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica do Theatro São Pedro, Orquestra Sinfônica Municipal de Santo André, Bachiana Filarmônica e dos musicais da Broadway “Um Violinista no Telhado” e “Cabaret”.

Foi professor de trombone durante nas edições de 2014, 2015, 2016 e 2018, regente da banda sinfônica acadêmica durante 2015 e 2016 dentro da programação pedagógica e artística do Festival Internacional de Música Eleazar de Carvalho – Fortaleza.

Ao longo de sua formação, participou de  master classes com  uma série de professores brasileiros e internacionais, tendo participado de seminários de regência. Iniciou seus estudos ao trombone na Escola de Música do Estado de São Paulo com o professor Marcos Sadao, graduando-se na Faculdade Mozarteum de São Paulo na classe do professor Gilberto Gianelli. Atualmente, é professor no Guri Santa Marcelina, 1º Trombone da Orquestra Sinfônica de Santos, 1º Trombone da Banda Sinfônica de Cubatão, professor do Projeto Banda Escola de Cubatão e solista em recitais e concertos.

 

Rubens Mattos – Tuba

Músico profissional atuando desde 1986, ingressou em novembro de 1989, na Banda Sinfônica do Estado de São Paulo como músico, passando em seguida a Chefe de naipe, e atuou neste grupo até 2015. Como músico convidado, atuou na Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Municipal de São Paulo, Sinfônica do Estado de São Paulo, Sinfônica de Ribeirão Preto, Sinfônica de Santo André, Filarmônica de São Bernardo do Campo, Osusp, Filarmônica de São Caetano do Sul, Sinfônica Municipal de Santos, Sinfônica de Curitiba, ICOS Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

Na música de câmara destaca-se dentro vários grupos, atuando sob a regência de renomados maestros como Eleazar de Carvalho, Roberto Minczuk, Roberto Farias, Alfred Reed, Lazslo Marosi, Abel Rocha, Roberto Tibiriçá , Jamil Maluf, Ailton Escobar, Luís Gustavo Petri, Daniel Havens, Júlio Medaglia, Ira Levin, Carlos Moreno, Fábio Mechetti e outros.

Dentre outras atividades também trabalhou em várias óperas, ballet, gravações e turnês. Como professor tem intensa atividade pedagógica na formação de jovens músicos. Atualmente é professor no Projeto BEC de Cubatão; Professor na Escola de Música do Auditório Ibirapuera; Tuba solo na Orquestra Sinfônica de Santo André (SP),  e Banda Sinfônica de Cubatão.

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.