Escrito por em 10 jun 2019 nas áreas Canto, Lateral, Música coral, Programação, Rio de Janeiro

Camerata Vocal da Associação Canto Coral

Theodora“, oratório de G. F. Händel, com libreto de Thomas Morrell é um de seus trabalhos favoritos. Passou a ser reconhecida nos últimos vinte anos como a obra-prima do compositor. Uma sucessão das mais belas árias e coros, Theodora, inédita no país, é um conto da Roma antiga baseado na história verdadeira sobre a opressão religiosa de uma cristã do século IV, que defende suas crenças e desafia o decreto governamental, que à época, obrigava os sacrifícios aos deuses pagãos. A obra nos fala de maneira atual e comovente sobre a inocência, amor, fé, ódio e sede do poder.

Elenco

Solistas: Theodora, Helen Heinzle, soprano / Dydimus, Lino Ramos, contratenor / Valens, Leandro da Costa, baixo / Septimus, Clayber Guimarães, tenor / Irene, Júlia Anjos, mezzo-soprano.

Coro:
Sopranos: Fabiana Almeida e Vera Prodan
Mezzo: Márcia Rodrigues
Tenor: Miguel Torres
Baixos: Vitor Hugo de Souza e Welington Gomes.

 

PROGRAMA

Ato 1 – Cena 1
Recitativo – Valens: `Tis Dioclesian´natal day; 
– Ária – Valens: Go, my faithfull soldier, go- 
– Coro: And draw a blessing down
– Ária – Valens: Racks, gibbets, sword and fire 
– Coro: For ever thus stand fix`d the doom

Ato 1 – Cena 2
Recitativo – Septimus: I know thy virtues
– Ária – Septimus: Descend, kind Pitty, heav`nly guest

Ato 1 – Cena 3
Recitativo e Ária – Theodora: Fond, flatt`ring world, adieu
– Coro: Come, mighty Father, mighty Lord

Ato 1 – Cena 4
Recitativo e Ária – Irene: As with rosy steps the morn 
– Coro: All powr`s in heav`n above, or earth beneath

Ato 1 – Cena 5
Ária – Theodora: Angels, ever bright and fair

Ato 1 – Cena 6 
Recitativo – Didymus, Irene: Unhappy happy crew! 
– Ária – Didymus: Kind Heav’n if virtue be thy care 

Ato 1 – Cena 7
Recitativo – Irene: O love, how great thy pow`r!
– Coro: Go, gen`rous, pious youth

Ato 3 – Cena 7
Coro: O Love Divine

 

SERVIÇO

 

Camerata Vocal da Associação Canto Coral – “Theodora”, de Händel


Dia 15 de junho, sábado, às 15:30h


Paróquia dos Santos Anjos
(Av. Afrânio de Melo Franco, 300, Leblon – Rio)

 

 

Dia 16 de junho, domingo, às 17h

Solar do Jambeiro (Rua Presidente Domiciano, 195, Ingá, Niterói)

Retirar ingresso gratuito uma hora antes.

Entrada franca

Classificação: livre

 

Camerata Vocal da Associação de Canto Coral

Formada por artistas de larga experiência tanto na música coral como no canto solo. Tem como objetivo realizar um repertório abrangente, desde músicas renascentistas a compositores contemporâneos. Iniciou suas atividades em abril de 2018, e ao longo de um ano já apresentou importantes obras de Monteverdi, Palestrina, Victoria e Poulenc.

Sopranos: Helen Heinzle, Vera Prodan e Fabiana Cruz;
Mezzo-Sopranos: Júlia Anjos e Márcia Rodrigues;
Contratenor: Lino Ramos;
Tenores: Clayber Guimarães e Miguel Torres;
Baixos: Leandro da Costa, Wellington Gomes e Vítor Hugo Souza.

Jésus Figueiredo

É bacharel em Regência Orquestral, em Órgão de Tubos e Mestre em Acústica Musical pela Escola de Música da UFRJ. Desde 1999, trabalha no Theatro Municipal, onde é o Maestro Titular do Coro, além de reger a Orquestra Sinfônica em Concertos, Óperas e Balés.

Já regeu diversas orquestras, entre elas a Sinfônica de Minas Gerais, a Sinfônica Brasileira, a Sinfônica Nacional da UFF, a Acadêmica do Teatro Colón de Buenos Aires, a da Universidade Nacional de Cuyo (Argentina), a da Ópera de San Juan (Argentina).

É também o Maestro Principal do Coro Ópera Brasil que participou em 2012 da 1ª temporada lírica da Orquestra Sinfônica Brasileira Ópera e Repertório e, em 2014, do Concerto do Tenor Plácido Domingo na Arena HSBC no Rio de Janeiro.

Como preparador coral recebeu o prêmio da APCA em 1998 pela ópera Colombo, de Carlos Gomes, e, em 2016, pelas óperas Don Quixote, de Massenet, e Lo Schiavo, de Carlos Gomes. Com o Balé do Theatro Municipal, com a Escola do Teatro Bolshoi do Brasil, e a Cia Brasileira de Balé regeu títulos como Les Sylphides, O Quebra-Nozes (2007 e 2012), Coppelia (2008 e 2012), Don Quixote, Catulli Carmina (2015) e o espetáculo Joias do Ballet (2018).

Além de ter preparado a Orquestra Sinfônica que acompanhou em 2011 e 2012 as temporadas cariocas respectivamente do Balé Kirov de São Petersburgo (Rússia), com O Lago dos Cisnes, e do Balé do Alla Scala de Mil&a tilde;o (Itália), com Giselle. Em 2013, assumiu a direção musical da ACC e vem desenvolvendo um repertório da Música Colonial Brasileira à Música Contemporânea, passando também pela ópera.

 

 

Faça seu comentário