LateralMúsica sinfônicaProgramaçãoRio de Janeiro

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa na Sala

Mais que uma orquestra… Um instrumento de resgate através da música

A Sala Cecília Meireles, um espaço da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, e PETROBRAS apresentam quinta-feira, dia 13 de junho, às 20h, dentro da Série Sala Orquestras, a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, sob a regência de Daniel Guedes. No programa, Rossini, Rodrigo e Tchaikovsky.

 

PROGRAMA

Gioachino Rossini
Abertura da Ópera “Guilherme Tell”

Joaquín Rodrigo
“Concierto de Aranjuez” para violão e orquestra
– Solista: Mario Ulloa (Costa Rica)

Piotr Ilitch Tchaikovsky
Sinfonia n.6 “Pathétique”

 


SERVIÇO

 

Série Sala Orquestras – Orquestra Sinfônica de Barra Mansa 

Dia 13 de junho, quinta-feira, às 20h

Sala Cecília Meireles (Largo da Lapa, 47 – Centro – Rio – 2332 9223)

 

Ingressos a R$ 40,00 (20,00 estudantes e idosos)

www.ingressorapido.com.br

 

 

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa

Mais que uma orquestra… Um instrumento de resgate através da música

A trajetória da Orquestra Sinfônica de Barra Mansa começa em 2005, como um desafio para o Projeto Música nas Escolas, que havia sido criado há apenas dois anos, mas já exibia profissionais com qualidade técnica. Em um concerto no Rotary Club de Barra Mansa, a então recém-criada orquestra fez sua estreia, sob a regência de seu diretor artístico Vantoil de Souza.

Desde então, realiza anualmente sua temporada oficial, com concertos na Igreja Matriz de São Sebastião, quando recebe importantes solistas e maestros nacionais e internacionais. Estes espetáculos únicos realizados em Barra Mansa já receberam os violinistas Daniel Guedes, Emmanuele Baldini, Daniel Austrich e Tim Fain, os violoncelistas Mark Kosower, Armen Ksajikian, Eugene Friese, Fábio Presgrave, Tina Guo, Umberto Clerici, os pianistas Barry Douglas, Gerald Robbins, Luiz de Moura Castro, Simone Leitão, Maria Clodes Jaguaribe, Luís Gustavo Torres e Jean-Louis Steuerman, cantores líricos como Eliane Coelho, Fernando Portari, Rosana Lamosa, Edna D’Oliveira, Edineia de Oliveira, Laura de Souza, o guitarrista holandês Jan Dumeé, os regentes internacionais Günther Neuhold, Alastair Willis, Mikhail Agrest, Valdmir Prado, Apo Hsu e Russell Guyver, entre muitos outros.

Todos estes artistas realizam oficinas e ministram masterclasses para os músicos da orquestra e alunos avançados do projeto, dividindo seus conhecimentos e realizando um verdadeiro intercâmbio cultural e musical, que deixa um legado de imenso valor artístico para Barra Mansa e região.

Além da temporada anual em Barra Mansa, a Orquestra tem se apresentado frequentemente nos mais importantes palcos nacionais como Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sala Cecília Meireles, Teatro Artur Rubinstein da Hebraica paulista, Sala São Paulo, Theatro Municipal de São Paulo, Teatro Alfa, Teatro Bradesco, Teatro de Santa Isabel, Palácio das Artes de Belo Horizonte.

Participou intensamente de eventos importantes para a vida musical do país como o MIMO festival, em que realizou concertos nas igrejas históricas de Olinda, e foi orquestra residente por cinco anos dos cursos de regência de Isaac Karabtchevsky. Apresentou-se ainda nos Festivais de Inverno de Campos de Jordão, Ars Nova, Vale do Café e Festival Villa-Lobos.

A OSBM também já acompanhou as mais importantes companhias internacionais de balé em suas turnês pelo Brasil, como o Balé do Teatro Mariinsky de São Petersburgo, o Balé do Teatro Alla Scala de Milão e o Balé Bolshoi, de Moscou em suas apresentações no Rio e em São Paulo. Em 2015, teve a honra de participar das comemorações dos 70 anos da Academia Brasileira de Música, com um repertório de raras obras sinfônicas brasileiras, que estão disponíveis na internet com excelente qualidade de imagem e som.

Em 2013, a orquestra realizou sua primeira turnê tendo como solista a pianista Simone Leitão, de norte a sul do país. No mesmo ano, outro evento marcante foi a participação nos três concertos durante a Jornada Mundial da Juventude, na primeira visita do Papa Francisco ao Brasil, onde se incluiu a realização de toda a trilha sonora da Via Sacra, com retransmissão via TV para todo o mundo.

Em 2017, além dos concertos da temporada oficial, uma nova série de concertos no Instituto Cultural do Clube Municipal de Barra Mansa, concertos na Sala Cecília Meireles, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e no Festival de Inverno de Nova Friburgo. Os concertos da temporada oficial já entraram para o calendário cultural Barra Mansa e moradores das cidades vizinhas. O público aumenta a cada concerto, comprovando a popularidade da orquestra e influência cada vez maior da música clássica na vida das pessoas da região.

A OSBM é mantida pela Prefeitura Municipal de Barra Mansa, numa ação conjunta da Secretaria Municipal de Educação e da Fundação de Cultura. A gestão administrativa é feita pela Associação da Orquestra Sinfônica de Barra Mansa. Além disso, é patrocinada pelo Instituto CCR e CCR NovaDutra, por meio da Lei de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet, do Ministério da Cultura. A orquestra também recebe o apoio da Saint Gobain.

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.