LateralMúsica de câmaraProgramaçãoSão Paulo

Quarteto de Cordas da Cidade de SP toca Dvorák

O violista Asbjorn Norgaard e o pianista Yuri Pingo acompanham o grupo

O Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, um dos corpos artísticos do Theatro Municipal de São Paulo, realiza dois concertos dedicados ao compositor Antonín Dvorák em junho na Sala do Conservatório na Praça das Artes.  As apresentações de Betina Stegmann (violino); Nélson Rios (violino); Marcelo Jaffé (viola) e Rafael Cesário (violoncelo) acontecem nas quintas-feiras 13 e 27, sempre às 20h, e contam com convidados especiais em cada data. Os ingressos custam R$ 20.

No primeiro concerto, dia 13, o grupo se apresenta junto ao violista dinamarquês Asbjorn Norgaard. Os músicos iniciam o programa com Quinteto op. 97, de Antonín Dvorák. O talento musical do compositor forçou sua família a sair da pequena Nelahozeves, na República Tcheca, e se mudar para Praga, capital do país, onde ganharia a vida tocando viola na Orquestra do Teatro Provisional.

Com uma obra de caráter nacionalista, Dvorák ficou conhecido por integrar elementos folclóricos tchecos à música clássica sinfônica. Quando foi professor do Conservatório de Praga insistiu que os alunos se dedicassem ao estudo do folclore do seu país.  Ele também chegou a ser diretor do Conservatório Nacional de Música de Nova York, nos Estados Unidos, onde teve contato com a música americana. Aos poucos, o músico ganhou fama e reconhecimento também por toda a Europa.

O Quarteto também irá executar a peça Quinteto para Viola Op. 88, de Johannes Brahms, amigo e mentor de Dvorák. A peça é um dos últimos trabalhos de música de câmara para cordas do compositor. Considerado por ele uma das suas melhores obras, Brahms garantiu para o seu editor Fritz Simrock: “você nunca recebeu de mim um trabalho tão bonito”.

Na quinta-feira 27, o Quarteto continua com a homenagem ao compositor Antonín Dvorák. Neste concerto, os músicos recebem o pianista Yuri Pingo para interpretar Dança Eslava, op.72 nº2 e Quinteto, op.81.


PROGRAMA

Dia 13 de junho, quinta-feira

Antonín Dvorák
Quinteto op. 97 em Mi bemol maior

Joahnnes Brahms 
Quinteto op. 88

Dia 27 de junho, quinta-feira

Antonín Dvorák
Dança Eslava op. 72 Nº 2

Antonín Dvorák
Quinteto op.81

 

Ensaio aberto gratuito

Um dia antes de cada apresentação, 12 e 26, às 18h, os músicos realizam um ensaio aberto e gratuito para o público também na Sala do Conservatório. Essa é uma ótima oportunidade para acompanhar e aprender sobre o processo musical e as obras do repertório.

 

 

SERVIÇO

Quarteto de Cordas da Cidade de SP toca Dvorák

Dia 13 de junho, quinta-feira, às 20h
Dia 27 de junho, quinta-feira, às 20h

Sala do Conservatório – Praça das Artes (Av. São João, 281 – São Paulo)

Ingresso: R$ 20 pelo site eventim.com.br ou pela bilheteria.

Horário da Bilheteria do Theatro Municipal: De segunda a sexta-feira, das 10 às 19h, e sábados e domingos, das 10 às 17h.

 

Bilheteria da Praça das Artes – Sala do Conservatório
Funcionamento: 2h antes no dia do evento.
Sugestões de imagens podem ser baixadas pelo link: http://twixar.me/Pb8n

 

 

Yuri Pingo, piano

Yuri Pingo, nasceu em São Paulo, iniciou seus estudos em música aos 6 anos, já ao piano. Estudou com diversos professores, como: Izilda Marcandalli, Edda Fiore, André Rangel, Marisa Lacorte, Ney Fialkow, Dario Ntaca, Nicolau de Figueiredo, Marizilda Hein e Gisela Nogueira. Foi detentor de diversos prêmios em concursos nacionais de piano e música de câmara.

Concluiu o bacharelado em piano na UNESP e cursou o mestrado na UFRGS. Participa desde muito tempo como pianista e professor de diversos festivais de música nacionais e internacionais. Como camerista, desenvolveu trabalhos ao lado de grandes artistas, tais como: Francisco Campos, Marcos Aragoni, André Micheleti, Ticiano Biancolino, Michel de Souza, Romain Garioud e Rafael Cesário, sendo que, com este vem realizando diversos recitais, destacando-se a série da integral das Sonatas de Beethoven para violoncelo e piano no ano de 2017.

Também é integrante do renomado Trio Images, ao lado de Henrique Muller e Cecília Guida. Como solista, destacou-se em recitais e concertos nos Festivais “Schumann/Chopin” e “Liszt/Mendelssohn”, em Recife, nos anos de 2010 e 2011, respectivamente.

No ano de 2011, integrou à série das 32 Sonatas de Beethoven para piano. Foi professor de 2007 a 2013 da UEM, onde ministrou aulas no curso de bacharelado em música, nas cadeiras de piano e música de câmara. Atualmente, faz parte do grupo “PIANOSOFIA”, idealizado pelo pianista Cristian Budu.

 

Asbjorn Norgaard, viola

Asbjorn Norgaard é um dos violistas mais procurados na Dinamarca, contemplado pelas mais diversas honras, como a bolsa de estudos de Jacob Gade e a Sonnings Music Scholarship. Vívido músico de câmara, fundou o The Danish String Quartet e o Duo Inviolata, uma dupla de viola e acordeom.

Com esses dois conjuntos, é vencedor de várias competições nacionais e internacionais e gravou uma infinidade de CDs, sendo o mais recente uma gravação de todas as Sonatas para Viola da Gamba de J. S. Bach. Além disso, Asbjørn Nørgaard é um músico orquestral experiente e liderou as seções de violas da Filarmônica de Copenhague e da Orquestra de Câmara Nacional Dinamarquesa.

 

Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo

Por iniciativa de Mário de Andrade, o Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo foi fundado em 1935. Inicialmente era chamado de Quarteto Haydn buscava difundir a música de câmara e estimular compositores brasileiros a compor novo repertório para o gênero. O grupo passou a ser chamado de Quarteto de Cordas Municipal a partir de 1944, chegando à sua forma definitiva em 1981, como Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo.

A atual formação conta com os violinistas Betina Stegmann e Nélson Rios, o violista Marcelo Jaffé e o violoncelista Rafael Cesário, músicos de intensa atividade no cenário musical brasileiro e de prestígio internacional, que se destacam também pela atuação em concertos, recitais e atividades pedagógicas.

Em concertos comentados, o Quarteto apresenta o amplo repertório para a formação, inclusive o de vanguarda, promovendo o contato do público com todas as tendências e escolas de composição, como parte do projeto original do grupo, de fomento e formação de plateias. Em sete oportunidades o Quarteto de Cordasganhou o prêmio de Melhor Conjunto Camerístico da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e por três vezes o Prêmio Carlos Gomes. A Sala do Conservatório é a casa do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo.

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.