LateralMúsica de câmaraProgramaçãoSão Paulo

CMB apresenta compositores eruditos do Brasil

Serão interpretadas obras de 10 compositores.


No dia 24 de agosto, sábado, às 20h, o Centro de Música Brasileira apresenta recital de canto e violão com os grandes intérpretes: Adélia Issa e Edelton Gloeden e a Orquestra de Cordas Laetare, sob regência de Muriel Waldman e músicos convidados. A série acontece no Centro Brasileiro Britânico e conta com o Apoio Cultural da Cultura Inglesa de São Paulo. Grátis!

O Duo Adélia Issa e Edelton Gloeden interpretará canções de compositores consagrados, Ernst Mahle, Guerra-Peixe, Osvaldo Lacerda, Villani-Côrtes, com textos de Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Guilherme de Almeida, Mário de Andrade, Ribeiro Couto e Vinícius de Moraes. A obra de Carlos dos Santos será em primeira audição mundial. O duo foi indicado, em 2012, ao Prêmio Carlos Gomes – a mais importante premiação da música de concerto no Brasil – na categoria “Melhor Conjunto de Câmara”.

A Orquestra de Cordas Laetare trará solistas convidados: o violinista Samuel Moreira de Mello, o Coral Vox Jubili, a pianista Naara Santana e os percussionistas Joaquim Abreu e Joachim Emidio. A orquestra, constituída por 32 músicos, interpretará duas obras em primeira audição de Jean Goldenbaum e Fábio Soldá. O grupo tocará ainda obras de Cláudio Santoro, Osvaldo Lacerda e Villa-Lobos.

Com 35 anos de existência, o Centro de Música Brasileira é uma instituição sem fins lucrativos que tem o objetivo principal defender e difundir a música erudita brasileira.

 

PROGRAMA

1ª Parte – Duo Adélia Issa (canto) e Edelton Gloeden (violão)

Osvaldo Lacerda
As Dádivas (Guilherme de Almeida)
Vácuo (Guilherme de Almeida)
Valsa para violão
Moda Paulista para violão
Ponteio para violão

Edmundo Villani-Côrtes
Rua Aurora (Mário de Andrade)
Imaginária Serenata (Cecília Meireles)

César Guerra-Peixe
Mãe D’Água

Carlos dos Santos
Duas Canções Simples (Carlos Drummond de Andrade)
Ausência e Memória

Ernst Mahle
Queixa da Moça Arrependida (Ribeiro Couto)
Natal (Vinícius de Moraes)

 

2ª parte: – Orquestra de Cordas Laetare 

Cláudio Santoro
Ponteio nº 1

Jean Goldenbaum
Concertino para violino e orquestra de Cordas: “Hope lies in the Horizon” (A Esperança repousa no horizonte)
1ª audição mundial
Violinista: Samuel Moreira de Mello

Osvaldo Lacerda
Quatro Provérbios
– Quem com ferro fere, com ferro será ferido
– Quando o dinheiro fala, tudo cala
– Quem tudo quer saber, mexerico quer fazer
– Quem tem janela de vidro, não deve atirar pedras
Participação do Coral Vox Jubili, da pianista Naara Santana e dos percussionistas Joaquim Abreu e Joachim Emídio

Fábio Soldá
Not more of Light (poema de Florence May Holbrook)
1ª audição mundial
Participação do Coral Vox Jubili

Heitor Villa-Lobos
Bachianas Brasileiras nº 9

 

 

SERVIÇO

Centro de Música Brasileira (CMB)
Adélia Issa e Edelton Gloeden (canto e violão)
Orquestra de Cordas Laetare 

Dia 24 de agosto, sábado, às 20h

Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico  (Rua Ferreira de Araújo, 741 – Pinheiros – São Paulo – 11 3039 0500)

Entrada franca

Classificação Livre

 

Duo Adélia Issa e Edélton Gloeden

Dois dos mais importantes intérpretes da música de concerto em nosso país, apresentam-se juntos no Brasil e exterior há mais de 20 anos. Nesse período, ambos vêm se dedicando intensamente à pesquisa e à divulgação de um repertório originalmente escrito para voz e violão, e também encomendando obras com essa formação a compositores contemporâneos.

Adélia Issa – Soprano

Uma das mais importantes cantoras líricas brasileiras, iniciou seus estudos de canto com Hermínia Russo em São Paulo, prosseguindo na Manhattan School of Music, em Nova York. Participou de cursos de aperfeiçoamento operístico com Nico Castel, na Metropolitan Opera de Nova York e, em música de câmara, trabalhou sob a orientação do renomado pianista Dalton Baldwin.

Apresenta-se regularmente em todo o Brasil, América Latina, Estados Unidos e Europa, em recitais, concertos sinfônicos e em óperas, sob a regência de renomados maestros. Dentre suas atuações mais importantes destacam-se as óperas Un Ballo in Maschera, de Verdi, ao lado do tenor Carlo Bergonzi e Carmen, de Bizet, com Plácido Domingo.

Vem desenvolvendo pesquisas e um extenso repertório como intérprete de música de câmara brasileira e internacional, com acompanhamento de piano, violão, e conjuntos instrumentais com diversas formações. Foi solista em primeiras audições mundiais de obras de grandes compositores latino-americanos, como os brasileiros Camargo Guarnieri, Francisco Mignone e Cláudio Santoro, o colombiano Andrés Posada e o cubano Leo Brouwer.

Adélia Issa gravou em LP as Modinhas Imperiais, recolhidas por Mário de Andrade (Selo Eldorado), e participou dos CDs Sons das Américas, com o Núcleo Hespérides, onde interpreta a primeira gravação feita no Brasil da Suíte para Canto e Violino de Heitor Villa-Lobos (Selo Sesc) e Mitología de las Aguas, com obras do cubano Leo Brouwer (Cubadisco). Mais recentemente, lançou os CDs Puertas, com Edélton Gloeden (Selo Sesc) e Vozes Mulheres, com a pianista Rosana Civile.

 

Adélia Issa e Edélton Gloeden

 

Edélton Gloeden – Violão

Um dos mais destacados músicos brasileiros da atualidade, o violonista teve entre seus mestres Henrique Pinto, Eduardo Fernandez, Guido Santórsola, Sérgio Magnani e Abel Carlevaro.

Apresenta-se em recitais solo, com grupos de câmara, e em concertos com orquestra em todo o Brasil, América Latina, Estados Unidos e Europa.
Tem se dedicado intensamente ao repertório brasileiro, realizando inúmeras primeiras audições de obras de compositores como Francisco Mignone, Camargo Guarnieri, Cláudio Santoro, Mário Ficarelli, Paulo Costa Lima e Gilberto Mendes, entre vários outros.

Edélton Gloeden é Doutor em Artes pela Universidade de São Paulo, onde é professor no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes. É presença constante nos mais importantes festivais de música em todo o Brasil, entre eles os de Campos do Jordão, Brasília, Londrina, Porto Alegre, Ouro Preto, Poços de Caldas, Vale Vêneto, Guaratinguetá e João Pessoa.

Em sua discografia, destacam-se os CDs Uma Festa Brasileira com violão e flauta (Paulus), Os Anos 20 para violão solo (EGTA) e, com o Quarteto Brasileiro de Violões, Encantamento, Essência do Brasil e Four Bach Suites for Orchestra (Delos International – EUA). Suas gravações mais recentes são Mitología de las Aguas (Cubadisco), Puertas, com Adélia Issa (Selo Sesc) e 12 Valsas Brasileiras em Forma de Estudos, com obras de Francisco Mignone.

Foi diretor artístico das 4 edições do Festival Internacional de Violão Leo Brouwer – de 2008 a 2013 – com a presença do artista cubano e de alguns dos maiores nomes do violão internacional, com eventos organizados pela USP, SESC, Secretaria Municipal de Cultura e Instituto Cervantes em São Paulo.

 

Orquestra de Cordas Laetare

Formada em 2007, já tem lugar de destaque entre as formações camerísticas paulistas de qualidade. É constituída por trinta e dois músicos (violinistas, violistas, violoncelistas e contrabaixistas), regidos pela maestrina Muriel Waldman e foi criada para realizar um Projeto de Ação Cultural da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, pelo qual são levados concertos comentados para as escolas e, através desta atuação, familiarizar e desmistificar a música clássica entre os jovens.

Entusiasmados com o resultado e com a atmosfera de trabalho rigoroso e, ao mesmo tempo, bem humorado, os membros da orquestra decidiram continuar a ensaiar juntos, e este grupo passou a se chamar: “Orquestra de Cordas Laetare” (como se sabe, este nome significa “alegrar” e também “se alegrar”).

Os objetivos da Orquestra são:
· aprimorar constantemente seu nível técnico e artístico;
· estabelecer um sólido repertório tradicional, pesquisar e divulgar obras pouco conhecidas;
· divulgar de maneira enfática os compositores brasileiros;
· prosseguir com a missão de divulgação da música clássica e formação de plateia para o futuro, realizando, além de concertos em salas normais, apresentações em escolas e outros locais não convencionais.

A Orquestra de Cordas Laetare já se apresentou em teatros, como o Teatro Grande Otelo, Teatro Gamaro, MUBE Cultural e diversos teatros do SESI em São Paulo e no interior do Estado, no Espaço das Américas, em Institutos Culturais como a Unibes Cultural, em clubes, como “A Hebraica”, o Círculo Macabi, e o Clube Piratininga, Sinagogas (CIP, BAIT), Igrejas como a Capela do Páteo do Colégio, a Capela do Colégio Sion, a Catedral Evangélica, Igreja Santo Inácio, Igreja da Paz e Nossa Senhora de Lourdes.

O repertório da Orquestra é extenso e abrangente, incluindo todas as épocas e estilos da música ocidental de concerto, desde o Barroco (Bach, Vivaldi, Händel, Albinoni, Pachelbel, Corelli), o Classicismo (Mozart, Haydn), o Romantismo (Mendelssohn, Chopin, Tchaikovsky, Mascagni, Verdi, Bizet, Massenet, Alkan), o século XX (Janacek, Albert Roussel, Britten, Darius Milhaud, Farkas, George Antheil, Glazunov, Grieg, Sibelius, Piazzola), e muitos compositores brasileiros (Carlos Gomes, Villa-Lobos, Camargo Guarnieri, Osvaldo Lacerda, Ernani Aguiar, Guerra-Peixe, Edino Krieger, Nepomuceno, Henrique Oswald, Villani Cortes).

Em 2016, entre outros projetos, dedicou-se ao tema “Mulheres Compositoras”, resultado de extensa pesquisa. Esta iniciativa resultou na gravação de um CD que obteve expressiva repercussão. Desde então, a Orquestra continuou na pesquisa deste tema, dando ênfase ainda maior às compositoras brasileiras e em sua missão de garimpar repertórios pouco conhecidos e de atingir e formar novas plateias para o futuro.

Os concertos da Orquestra de Cordas Laetare têm sempre como característica ilustrar um tema escolhido por seu interesse musical ou histórico. Assim, neste último ano, foram abordados temas como: “Música do Mediterrâneo”, “Danças sobre Cordas”, “Das Brumas à Liberdade”, “A Ópera em Cordas”, ”Música da Europa Oriental”, “Barroco em Cordas”, “Carnaval na Música Clássica”, “Homenagem ao Dia Nacional da Música”, “Linha do Tempo na Música Britânica”, dando a oportunidade tanto para os músicos quanto para o público descobrirem novas facetas e aprofundarem seu conhecimento sobre o tema escolhido. Desta forma, além do prazer de ouvir música de qualidade, o nível cultural de todos se aprimora.

 

Centro de Música Brasileira – CMB

É uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em São Paulo, em 18 de dezembro de 1984, iniciando suas atividades em 29 de abril de 1985, no Teatro de Cultura Artística, com recital de Eudóxia de Barros. Osvaldo Lacerda foi o Presidente até 2011 e atualmente é presidido pela pianista Eudóxia de Barros.

O CMB visa defender e promover a música brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Por duas vezes recebeu Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA. Realizou 336 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos estados de São Paulo e Minas Gerais. Atualmente promove recitais mensais na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros

Financeiramente, sobrevive por investimento da pianista Eudóxia de Barros, por anuidades de músicos interessados, R$ 120,00 (individual) e R$ 180,00 (casal), enviadas para a sede da entidade: Rua Santarém, 269 Bairro Perdizes, CEP 01251-040 São Paulo-SP. E desde 1995, tem apoio da Cultura Inglesa de São Paulo.

Promoveu vários concursos de Interpretação, de âmbito nacional: 7 da Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano; 2 de Músicas Brasileiras para Flauta.

Promoveu um Concurso de Monografia “O Dobrado”, e dois de Composição: o primeiro, em parceria com a Biblioteca Municipal Mário de Andrade (São Paulo), em 2008, o Concurso de Tocata para Piano, vencido em 1º lugar por Nélson Lin, que teve prêmio oferecido pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo e a impressão da Tocata, pela Academia Brasileira de Música.

Em 2009, na Casa Mário de Andrade, foram realizados o II Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Flauta e o V Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Piano, com prêmios oferecidos pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Em 2015, realizou o Concurso de Interpretação Pianística da obra de Osvaldo Lacerda.

Site: http://centrodemusicabrasileira.blogspot.com/


Temporada 2019 do Centro de Música Brasileira

Dia 21 de Setembro
Trio “Canto Nosso” – Sônia Goussinsky, Marília Macedo e Fábio Bartoloni (canto, flauta doce e violão)
Consuelo Quireze  (piano)

Dia 19 de Outubro
Fábio Luz (piano)
Patrícia Endo e Alessandro Santoro (canto e piano) – homenagem ao centenário de nascimento de Cláudio Santoro

Dia 16 de Novembro
Festival Nilcéia Baroncelli
Izaías e seus Chorões – participação de Eudóxia de Barros

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.