LateralMovimentoMúsica sinfônicaProgramaçãoRio de Janeiro

Dell´Arte apresenta Pinchas Zukerman

Violinista israelense faz espetáculo com Orquestra Sinfônica de Barra Mansa no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Virtuose admirado pelo expressivo lirismo, o violinista israelense Pinchas Zukerman faz apresentação no Rio de Janeiro na quinta-feira, dia 22 de agosto, às 20h. Zukerman, que também é regente, será acompanhado pela Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, regência de Daniel Guedes, tendo como solista a violoncelista canadense Amanda Forsyth.

Com mais de cinco décadas de carreira, Zukerman é conhecido pela beleza peculiar de sua sonoridade e pela impecável musicalidade. Ele excede, seja na viola, no violino ou no pódio, como regente das mais importantes formações camerísticas e sinfônicas do mundo – como testemunha, está sua discografia, com mais de cem álbuns.

 

PROGRAMA

Antonín Dvorák
Bosques Silenciosos
Solista: Amanda Forsyth, violoncelo

Ludwig van Beethoven
Concerto para violino em Ré maior, op. 61
– Allegro ma non troppo
– Larghetto
– Rondo – Allegro
Solista: Pinchas Zukerman, violino

Antonín Dvorák
Sinfonia Nº 8 em Sol maior, op. 88
– Allegro con brio
– Adagio
– Allegretto grazioso – Molto vivace
– Allegro ma non tropo

 

 

SERVIÇO

 

Dell´Arte apresenta Pinchas Zukerman – violino e Amanda Forsyth, violoncelo

Dia 22 de agosto, quinta-feira, às 20h

Theatro Municipal do Rio de Janeiro – Praça Floriano, s/n – Cinelândia – Rio – 2332 9191)

 

Ingressos:
Frisa e Camarote: R$ 300,00 (por pessoa)
Plateia e Balcão Nobre: R$ 300,00
Balcão Superior: R$ 180,00
Galeria: R$ 80,00

 

Formas e condições de pagamento:

Internet: www.dellarte.com.br/

Telefone: 4002-0019

 

 

Pinchas Zukerman, violino

Pinchas Zukerman

Com uma carreira célebre que abrange cinco décadas, Pinchas Zukerman pontifica como um dos músicos mais procurados e versáteis da atualidade, quer como solista de violino ou da viola, maestro ou músico de câmara. Reconhecido como um virtuoso, é admirado pelo lirismo expressivo de seu estilo de tocar, pela singular beleza de sua tonalidade e por uma musicalidade impecável, qualidades que podem ser constatadas em toda a sua discografia, com mais de cem álbuns.

Professor dedicado e apoiador de jovens músicos, Zukerman foi, durante 25 anos, presidente do Programa de Performance Pinchas Zukerman, na Escola de Música de Manhattan. Como mentor, inspirou gerações de jovens músicos que se destacaram no desempenho, ensino e liderança em festivais de música ao redor do mundo.

Foi pioneiro no uso da tecnologia de ensino à distância, com a primeira instalação tecnológica da Escola de Manhattan, e estabeleceu um programa de treinamento avançado para jovens artistas talentosos, no quadro do Centro Nacional de Artes de Ottawa. A temporada de 2018-2019 de Pinchas Zukerman assinala seu décimo ano como Maestro Convidado Principal da Royal Philharmonic Orchestra de Londres, e seu quarto ano como Artista Associado da Orquestra Sinfônica de Adelaide, na Austrália.

Na atual temporada, lidera a Royal Philharmonic Orchestra em uma turnê pelo Reino Unido e Irlanda, regendo obras de Mozart e Vaughan Williams, e atuando como solista no Concerto para violino de Beethoven. Zukerman associa-se à Orquestra Filarmônica de Rotterdam, em apresentações de Concerto para Violino em Sol menor de Bruch, em turnê pela Alemanha, Holanda e Suíça.

Na América do Norte, atua como solista e maestro da Orquestra do Centro Nacional de Artes de Ottawa e das orquestras sinfônicas de Toronto e Indianápolis. Ainda no continente, apresenta-se em concertos com a Orquestra Sinfônica de Pittsburgh, Sinfônica do Colorado, Filarmônica de Los Angeles e New World Symphony. E, na Europa, com a Orquestra Gulbenkian, Orquestra Nacional da NDR, Camerata de Salzburgo e Orquestra Sinfônica Estadual de Moscou.

Dirige também a Deutsche Staatsphilharmonie Rheinland-Pfalz e atua como regente e solista da Royal Philharmonic Orchestra, em uma turnê pela Coréia do Sul.

Como membro fundador do Zukerman Trio, ao lado da violoncelista Amanda Forsyth e da pianista Angela Cheng, Pinchas Zukerman se apresenta em Baltimore e na “92nd Street Y” de Nova York; viaja pela Itália, com escalas em Bolonha, Milão e Nápoles; e dá concertos na Villa Musica, na Renânia-Palatinado, e no Mönchengladbach, na Alemanha.

Zukerman e Forsyth juntam-se ao Quarteto de Jerusalém em um programa dos sextetos de Strauss, Schoenberg e Tchaikovsky em Chicago, Houston, Atlanta, Princeton, Berkeley e Vancouver. Zukerman também toca com Forsyth em apresentações do Concerto Duplo de Brahms com a Filarmônica de Los Angeles, e se junta à violinista Viviane Hagner e à Orquestra do Centro Nacional de Artes para apresentações da Sinfonia Concertante de Mozart.

Como parte das comemorações de 70 anos de Zukerman, completados na temporada 2018-2019, a Escola de Música de Manhattan destaca o 25º aniversário do Programa de Performance Pinchas Zukerman, com uma homenagem especial: um concerto “25-70” de música de câmara e orquestral, executadas por ilustres colegas, alunos antigos e atuais.

Zukerman, que formou o Instituto Nacional de Artes para Estudos Orquestrais em Ottawa – um programa de aprendizado para músicos de cordas – é diretor artístico do Programa Jovem Artista, e lá retorna todos os verões para ministrar aulas e dirigir master classes. Lecionou em destacados programas de educação musical em Londres, Israel e China, entre outros, e foi indicado como primeiro mentor instrumentista em música da prestigiosa Rolex Mentor and Protégé Arts Initiative.

Pinchas Zukerman foi destaque em inúmeros especiais de televisão e “talk shows” nos Estados Unidos. Atuou como músico e apresentador na cerimônia do Kennedy Center Honors e na cerimônia dos Prêmios Grammy. Participou, também, com a Sinfônica de Chicago, no especial da PBS Mozart by the Masters.

Em 2004, a CBC gravou uma série de dez capítulos intitulada O Concerto Segundo Pinchas, que continua a ser transmitida e retransmitida em todo o mundo. Presença constante no “Live from Lincoln Center”, Zukerman colaborou com o cineasta inglês Christopher Nupen em vários projetos, incluindo a série Here to Make Music, uma série de Brahms, outra de Schubert e um documentário sobre Nathan Milstein.

Apresentou-se na transmissão nacional da Rede CBC de Televisão, celebrando os concertos de abertura da temporada do 30º aniversário do Centro Nacional de Artes. O documentário Crossing Bridges, de Niv Fichman — realizado após sua turnê para o Oriente Médio com a NAC Orchestra — foi premiado com a prestigiosa Medalha de Ouro no Festival de Nova York de 2001.

O violino de Zukerman pode ser ouvido nas trilhas sonoras dos filmes Prince of Tides e Critical Care.

Nascido em Tel Aviv, Pinchas Zukerman foi para os Estados Unidos e estudou na Juilliard School com Ivan Galamian, como bolsista da Fundação Cultural América-Israel. Como ex-aluno do programa “Young Concert Artists”, Zukerman também recebeu doutorados honorários da Brown University, da Queen’s University de Kingston, Ontário, e da University of Calgary. Recebeu a Medalha Nacional de Artes do Presidente Ronald Reagan e o Prêmio Isaac Stern de Excelência Artística em Música Clássica.

A extensa discografia de Pinchas Zukerman inclui mais de cem títulos, que lhe valeram 21 indicações e dois prêmios Grammy. Suas gravações completas para a Deutsche Grammophon e Philips foram lançadas em julho de 2016 em uma caixa de 22 discos compreendendo concertos barrocos, clássicos e românticos e música de câmara.

Álbuns recentes incluem Baroque Treasury, no selo Analekta, com a Orquestra do Centro Nacional de Artes, a violoncelista Amanda Forsyth e o oboísta Charles Hamann em obras de Händel, Bach, Vivaldi, Telemann e Tartini; a Sinfonia Nº 4 e o Concerto Duplo de Brahms com a Orquestra do Centro Nacional de Artes e Forsyth, gravadas ao vivo no Southam Hall de Ottawa; e um álbum aclamado pela crítica, contendo obras de Elgar e Vaughan Williams com a Royal Philharmonic Orchestra.

 

Amanda Forsythvioloncelo

Amanda Forsyth

Vencedora do Prêmio Juno canadense, Amanda Forsyth é considerada uma das violoncelistas mais dinâmicas da América do Norte. Descrevendo uma recente apresentação dela, o Ventura Country Star, da Califórnia, não lhe poupou elogios: “Nas mãos de Forsyth, foi tudo pura magia”.

Sua reputação internacional se deve ao seu trabalho como solista, musicista de câmara e violoncelista principal da Orquestra do Centro Nacional de Artes do Canadá, entre 1999 e 2015. Sua intensa riqueza de tom, técnica notável e excepcional musicalidade se combinam, cativando tanto o público quanto a crítica.

Amanda se apresentou em turnês internacionais com a Royal Philharmonic e com a Filarmônica de Israel. Tocou com orquestras como a Orchestre Radio de France, Orquestra Gulbenkian de Lisboa, Orquestra de Câmara Inglesa, Filarmônica de Calgary, Sinfónica de Toronto, Orquestra do Centro Nacional de Artes, Sinfónica de Vancouver, Filarmônica de Luxemburgo e Filarmônica de Gyeonggi.

Participou de várias turnês na Austrália, apresentando-se com as Sinfônicas de Sydney, Perth e Adelaide. Nos Estados Unidos, tocou com as Sinfônicas de Chicago, Nacional de Washington, San Diego, Colorado, Oregon, New West, Dallas e Grand Rapids. A violoncelista empreendeu várias turnês e se apresentou em São Petersburgo com a Orquestra Mariinsky, dirigida por Valery Gergiev. Em 2014, Forsyth estreou no Carnegie Hall de Nova York, com a Orquestra Filarmônica de Israel.

Na qualidade de membro fundador da Zukerman ChamberPlayers, Amanda Forsyth visitou Alemanha, Israel, Itália, Finlândia, Holanda, Suíça, Nova Zelândia, Turquia e cidades como Londres, Viena, Paris, Belgrado, Budapeste, Dubrovnik, Varsóvia e Barcelona.

Como violoncelista do Zukerman Trio, já se apresentou em todos os continentes, tendo participado de prestigiosos festivais de música como os de Edimburgo, Miyazaki, Verbier, BBC Proms, Tanglewood, Ravinia, Festival da Primavera de São Petersburgo, Festival da Noite Branca e Festival de Verão La Jolla. Sua temporada atual inclui compromissos com o  Zukerman Trio, com a Chamber Music Sedona, a Sociedade de Música de Câmara de Detroit, o Instituto de Música de Chicago e o Festival de Música de Savannah.

Na atual temporada, o Zukerman Trio embarca em uma turnê na Costa Leste, que culmina na 92nd Street Y de Nova York, além de uma turnê na Itália. Os destaques da temporada 2018-2019 de Amanda Forsyth incluem, também, a estreia mundial do Concerto para Violoncelo de Marjan Mozetich, com a Orquestra do Centro Nacional de Artes, bem como a sua estreia com a Filarmônica de Los Angeles, apresentando o Concerto Duplo de Brahms, com Zubin Mehta.

As gravações de Amanda Forsyth foram lançadas pelas marcas Sony Classics, Naxos, Altara, Fanfare, Marquis, Pro Arte e CBC. Sua gravação do Quinteto “A Truta” de Schubert com a Zukerman ChamberPlayers e Yefim Bronfman foi lançada pela Sony em 2008. Seu disco mais recente, lançado pela Analekta Records, apresenta o Concerto Duplo de Brahms com Pinchas Zukerman e a Orquestra do Centro Nacional de Artes.

Natural da África do Sul, Forsyth se mudou para o Canadá ainda criança e começou a tocar violoncelo aos três anos de idade. Tornou-se uma protegida de William Pleeth, em Londres. Posteriormente, estudou com Harvey Shapiro, na Juilliard School. Forsyth se apresenta com um raro violoncelo italiano de 1699, de Carlo Giuseppe Testore.

 

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa

A trajetória da Orquestra Sinfônica de Barra Mansa começa em 2005, como um desafio para o Projeto Música nas Escolas. Criada havia apenas dois anos, já exibia profissionais com qualidade técnica. A estreia da recém-criada orquestra se deu em um concerto no Teatro do SESC de Barra Mansa, sob a regência de seu diretor artístico Vantoil de Souza.

Desde então, realiza sua temporada oficial anual, com concertos na Igreja Matriz de São Sebastião, oportunidade em que recebe importantes solistas e maestros nacionais e internacionais. Os artistas convidados realizam oficinas e ministram master classes para os músicos da orquestra e alunos avançados do projeto, compartilhando seus conhecimentos e realizando um verdadeiro intercâmbio cultural e musical, que deixa um legado de imenso valor artístico para Barra Mansa e região.

Além da temporada anual em Barra Mansa, a Orquestra tem se apresentado frequentemente nos mais importantes palcos nacionais. Participou intensamente de eventos importantes para a vida musical do país, como o MIMO Festival, em que realizou concertos nas igrejas históricas de Olinda (PE), e foi orquestra residente por cinco anos dos cursos de regência de Isaac Karabtchevsky.

A OSBM também já acompanhou as mais importantes companhias internacionais de balé em suas turnês pelo Brasil, como o Balé do Teatro Mariinsky de São Petersburgo, o Balé do Teatro Alla Scala de Milão e o Balé Bolshoi de Moscou, em suas apresentações no Rio e em São Paulo.

Em 2013, a orquestra realizou sua primeira turnê de norte a sul do país, tendo como solista a pianista Simone Leitão. O ano trouxe ainda outro evento marcante: a participação nos três concertos durante a Jornada Mundial da Juventude, na primeira visita do Papa Francisco ao Brasil, onde se inseriu a realização de toda a trilha sonora da Via Sacra, com retransmissão via TV para todo o mundo.

O Projeto Música nas Escolas de Barra Mansa, da qual a OSBM faz parte, atende a todas as escolas públicas municipais da cidade com o processo de educação musical, que se inicia na educação infantil e se estende a todas as séries. Desde o início, o Projeto é mantido pela Prefeitura de Barra Mansa, numa ação conjunta da Secretaria Municipal de Educação e da Fundação de Cultura. A gestão administrativa é feita pela Associação da Orquestra Sinfônica de Barra Mansa.

Além disso, o projeto é patrocinado pelo Instituto CCR e CCR NovaDutra, através da Lei de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet, do Ministério da Cultura. O projeto também recebe o apoio da Saint Gobain.

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.