LateralMúsica de câmaraProgramaçãoSão Paulo

Centro de Música Brasileira tem canto, flauta, violão e piano

Serão interpretadas obras de 13 compositores eruditos brasileiros.

 

No dia 21 de setembro, sábado, às 20h, o Centro de Música Brasileira apresenta o trio Canto Nosso de canto, flauta doce e violão e a pianista Consuelo Quireze. A série acontece no Centro Brasileiro Britânico e conta com o Apoio Cultural da Cultura Inglesa de São Paulo. Grátis!

O trio Canto Nosso é formado pela Sônia Goussinsky no canto, Marília Macedo na flauta doce e Rosimary Parra ao violão. As canções terão poemas de Airas Nunes, Guilherme de Almeida e Mário Quintana. No repertório, obras de Camargo Guarnieri, Chiquinha Gonzaga, Fabiano Lonzano, Joaquim Callado, Nilceia Baroncelli, Osvaldo Lacerda, Sérgio Roberto de Oliveira, Villa-Lobos, Villani-Côrtes e Yolanda Gama de Macedo.

Consuelo Quireze é professora adjunta da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás. A pianista interpretará obras de Alexandre Levy, Camargo Guarnieri, Fernando Cupertino, Mignone, Osvaldo Lacerda e Villa-Lobos.

Com 35 anos de existência, o Centro de Música Brasileira é uma instituição sem fins lucrativos que tem o objetivo principal defender e difundir a música erudita brasileira.

 

PROGRAMAS

Trio Canto Nosso

Nilceia Baroncelli
Avelaneyras frolidas
Poeta: Airas Nunes (Galiza, século XIII)

Camargo Guarnieri
Valsa nº 9
Transcrição de Edélton Gloeden

Sérgio Roberto de Oliveira
A canção que não foi escrita
Mário Quintana

Heitor Villa-Lobos
Mazurca choro

Osvaldo Lacerda
As Dádivas
Guilherme de Almeida

Vácuo
Guilherme de Almeida

Edmundo Villani-Côrtes
Miniatura brasileira

Fabiano Lozano e Yolanda da Gama de Macedo
Acalanto 1 e 2 

Chiquinha Gonzaga
Lua Branca 
Namorados da Lua 

Joaquim Antônio da Silva Callado 
Flor amorosa 

Consuelo Quireze (piano)

Heitor Villa-Lobos
Poema Singelo

Camargo Guarnieri
Improviso n° 9 – Melancólico
Improviso n° 2 – Lentamente

Fernando Cupertino
Miniaturas Sentimentais

Osvaldo Lacerda
Cinco variações sobre Escravos de Jó
Valsa n° 1

Francisco Mignone
Valse Élégante

Alexandre Levy
Allegro Appassionato opus 14

 

 

SERVIÇO

 

Centro de Música Brasileira tem canto, flauta, violão e piano
Trio Canto Nosso – Consuelo Quireze (piano)

Dia 21 de setembro, sábado, às 20h

Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico (Rua Ferreira de Araújo, 741 – Pinheiros – São Paulo – 3039 0500)

Entrada franca

Classificação Livre

 

 

Próximas apresentações da Temporada 2019 do Centro de Música Brasileira

– Dia 19 de Outubro
Fábio Luz (piano)
Patrícia Endo e Alessandro Santoro (canto e piano) – homenagem ao centenário de nascimento de Cláudio Santoro

– Dia 16 de Novembro
Festival Nilceia Baroncelli
Izaias e seus Chorões – participação de Eudóxia de Barros

 

Trio Canto Nosso

Sônia Goussinsky é cantora, professora e pesquisadora, natural de São Paulo. Graduou-se pelo Instituto de Artes da UNESP, obtendo o bacharelado em música com habilitação em canto. Posteriormente, residiu por nove anos na Europa, onde concluiu a pós-graduação em música antiga (na Guildhall School of Music and Drama de Londres) e o mestrado (no Trinity College of Music de Londres), além de frequentar cursos e atividades dos Conservatórios de Marselha e de Aix-en-Provence.

Recebeu o título de doutora em 2013 pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, defendendo sua tese sobre as memórias do cantar ídiche no Brasil. A experiência e interesse que tem desenvolvido como cantora, em atividades de performance, de pesquisa e didáticas, incluem o contato com múltiplos elementos referentes à esfera artística. Tem trabalhado como docente em cursos de graduação e pós-graduação de importantes instituições de ensino superior do estado de São Paulo.

Atualmente, ministra aulas nas disciplinas de expressão musical, metodologia científica e voz na Escola Superior de Artes Célia Helena, nos cursos de graduação e pós-graduação. Na Fundação Instituto Tecnológico de Osasco, leciona disciplinas práticas, relacionadas à música e à voz, bem como teóricas, como história da música e orientação de trabalhos de pesquisa científica em artes. Integra também o corpo profissional do Musicalis Núcleo de Música em São Paulo. Como artista tem se apresentado acompanhada por diversas formações musicais, em repertório variado desde canções do Renascimento até a música étnica judaica e a música erudita brasileira.

Marília Macedo Iniciou seus estudos de flauta doce nos Seminários de Música Pró Arte de São Paulo. Foi aluna do curso de Composição e Regência na Escola de Comunicações e Artes da USP e do curso de Licenciatura em Música na mesma instituição. Bolsista do Ministério de Educação da Holanda, foi aluna de Ricardo Kanji no Conservatório Real de Haia e participou de master-classes de interpretação de música barroca, destacando-se as realizadas com Frans Brüggen.

Tem intensa participação no movimento de música de câmara de São Paulo, apresentando-se em teatros e salas de concerto de vários estados brasileiros e do exterior. Atuou como solista em programas de várias orquestras, entre elas a Orquestra Sinfônica da USP, a Orquestra Sinfônica Municipal e a Orquestra do Theatro São Pedro. Participou de projetos de Música de Câmara do Coral Paulistano e da montagem da ópera “Orfeo”, de Monteverdi, no Theatro Municipal de São Paulo. Tem atuado como flautista convidada junto ao Coralusp e ao Coral Jovem do Estado.

Exerce atividade didática no “Musicalis – Núcleo de Música” e no “Projeto Lugar do Som”. Desde o ano de 2000, dedica-se também à produção de concertos, espetáculos musicais e mostras, sendo também responsável pela formatação e produção de projetos incentivados pela Prefeitura de São Paulo, pelo Governo do Estado e pelo Governo Federal.

Rosimary Parra é musicista com Mestrado em Música e bacharelado em Violão pelo Instituto de Artes da UNESP – Universidade Estadual Paulista, com cursos de especialização na área de interpretação violonística e música antiga, realizados na Espanha e Itália. Tem atuado como intérprete em diversas formações camerísticas e como solista ao violão e instrumentos antigos de cordas dedilhadas – alaúde, vihuela e guitarra barroca. Atua desde 1997 no grupo de música antiga Il Dolce Ballo (SP) com o qual gravou dois CDs Amor e Devoção (2003) e Ecco la primavera (2012).

Com o grupo Quadro Antiquo (RJ) realizou concertos em Portugal e Praga (República Tcheca) – jun. 2008, e uma série de concertos pelo Nordeste brasileiro e cidades históricas de Minas Gerais pelo projeto Música no Museu entre 2007 e 2010. Em 2009, gravou o programa “Rede Vida Musical” do canal 34 da Rede Vida de Televisão, com repertório de música brasileira para violão solo e Duo de Violões com o violonista Éder Francisco.

Em 2010, realizou uma série de concertos por cidades de Pernambuco – Goiana, Recife, Olinda,Limoeiro e Arquipélago Fernando de Noronha – em turnê com o grupo Quadro Antiquo (RJ), projeto “Sons do Passado” – modinhas e lundus – patrocinado pelo FUNCULTURA – Fundação do Patrimônio Histórico de Pernambuco. Em 2011, participou do projeto de circulação SESI Música Erudita integrando o grupo Il Dolce Ballo.

Realizou concertos pelo projeto Sons das Igrejas do Centro do SESC Carmo (2012 e 2013) e Formas do violão SESC Pinheiros (2014), com curadoria de Sidney Molina. Em 2014, realizou concertos temáticos – música inglesa e música italiana, junto a cantores, coordenados pela musicista e pesquisadora Anna Maria Kieffer.

 

Consuelo Quireze

É graduada em piano e Mestre em Música pela Universidade Federal de Goiás. Estudou com Maria Augusta Callado, Belkiss S. Carneiro de Mendonça e M. Camargo Guarnieri, sobre quem fez sua dissertação de mestrado. Tem destacada atuação como solista e camerista, com apresentações regulares no Brasil e no exterior.

Gravou, a pedido do Museu da Imagem e do Som do Estado de Goiás, a trilha sonora para um documentário sobre a historiadora e folclorista Regina Lacerda, de autoria do compositor Fernando Cupertino. Registrou em CDs obras pianísticas e de câmara de Cupertino, e Fugas de J. S. Bach, ambos pelo Estúdio EMAC (2004-2008). Alterna suas atuações solo com recitais de piano a quatro mãos e dois pianos – Duo Pianístico com Maria Lúcia Roriz, música de câmara vocal e instrumental, contemplando e divulgando principalmente a música brasileira para essas formações. Forma, ainda, com o cantor e compositor Fernando Cupertino, o Duo Terra Brasilis, que tem se apresentado em salas de concerto no Brasil e no exterior, com o mesmo propósito de divulgação da música brasileira.

Em 2005, recebeu do Governo do Estado de Goiás a “Medalha do Mérito Anhanguera”; em 2009, do Conselho Estadual de Cultura de Goiás, o prêmio de “Destaque Cultural do Ano” e, em 2012, a “Medalha de Mérito Cultural – Música”. Em 2017, com o violista Cléverson Cremer, foi distinguida com o Grand Prize Virtuoso, recebendo o primeiro prêmio e o convite para tocar no Royal Albert Hall, em Londres.

Atualmente é Professora Adjunta da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG (EMAC-UFG), onde coordena o Núcleo de Piano e ministra aulas de piano, formação de repertório, música de câmara e piano a quatro mãos. Coordena ainda diversos projetos de extensão. É Membro Titular da Academia Nacional de Música – ANM (2006) e da Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás -AFLAG (2014).

 

Centro de Música Brasileira – CMB 

É uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em São Paulo, em 18 de dezembro de 1984, iniciando suas atividades em 29 de abril de 1985, no Teatro de Cultura Artística, com recital de Eudóxia de Barros. Osvaldo Lacerda foi o Presidente até 2011 e atualmente é presidido pela pianista Eudóxia de Barros.

O CMB visa defender e promover a música brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Por duas vezes, recebeu Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA. Realizou 336 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos estados de São Paulo e Minas Gerais. Atualmente promove recitais mensais na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros. Financeiramente, sobrevive por investimento da pianista Eudóxia de Barros e por anuidades de músicos interessados, R$ 120,00 (individual) e R$ 180,00 (casal). E desde 1995, tem apoio da Cultura Inglesa de São Paulo.

Promoveu vários concursos de Interpretação, de âmbito nacional: 7 da Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano; 2 de Músicas Brasileiras para Flauta.
Promoveu um Concurso de Monografia “O Dobrado”, e dois de Composição: o primeiro, em parceria com a Biblioteca Municipal Mário de Andrade (São Paulo), em 2008, o Concurso de Tocata para Piano, vencido em 1º lugar por Nélson Lin, que teve prêmio oferecido pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo e a impressão da Tocata, pela Academia Brasileira de Música.

Em 2009, na Casa Mário de Andrade, foram realizados o II Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Flauta e o V Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Piano, com prêmios oferecidos pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Em 2015, realizou o Concurso de Interpretação Pianística da obra de Osvaldo Lacerda.

Site: http://centrodemusicabrasileira.blogspot.com/

Vídeos:

Consuelo Quireze interpreta Camargo Guarnieri – https://youtu.be/RgGgWoZCu8w

Consuelo Quireze interpreta “Miniaturas sentimentais” de Fernando Cupertino https://youtu.be/LY0D7zat0TU

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.