LateralMúsica sinfônicaProgramaçãoRio de Janeiro

OPES recebe violoncelista Antônio Menezes

Quarto concerto pela série Djanira, formado exclusivamente por obras de compositores brasileiros.

 

Fechando a série “Djanira”, Isaac Karabtchevsky, diretor artístico e regente titular da Orquestra Petrobras Sinfônica, recebe um dos principais violoncelistas do mundo, Antônio Meneses, no próximo dia 20/09, sexta-feira, às 20 horas, no Theatro Municipal.

O programa conta com peça composta este ano por Marlos Nobre (“Concerto para violoncelo”), em um pool formado pela Orquestra Petrobras Sinfônica, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e a Filarmônica de Goiás, e que tem sua estreia em 2019.

Em concerto formado exclusivamente por obras de compositores brasileiros, estarão presentes nomes como Cláudio Santoro (Música para Cordas), que completaria 100 anos em 2019, Heitor Villa-Lobos (Choros nº 6), no marco dos 60 anos de sua morte, e compositores da atualidade, como Marlos Nobre (Concerto para Violoncelo e Orquestra Op.127), celebrando 80 anos de vida, Ernani Aguiar (Sinfonietta seconda, “Carnevale”) e Ronaldo Miranda (Ponteio e dança).

 

PROGRAMA

Cláudio Santoro
Música para cordas

Marlos Nobre
Concerto para Violoncelo e Orquestra Op.127 

Ernani Aguiar
Sinfonietta seconda “Carnavale”

Ronaldo Miranda
Ponteio e Dança

Heitor Villa-Lobos
Choros nº6

 

SERVIÇO

 

OPES recebe violoncelista Antônio Menezes

Dia 20 de setembro, sexta-feira, às 20h

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano, S/N – Centro – Rio – 2332 9191)

 

Ingressos:
Frisa /Camarote: R$ 586,50
Plateia / Balcão Nobre: R$  98,00
Balcão Superior / Balcão Superior Lateral: R$ 58,65
Galeria Central / Galeria Lateral: R$ 19,55

Ingressos: ingressorapido.com.br

Classificação: livre

 


Antônio Meneses

Antônio Menezes

Ganhador em 1977 do 1º Prêmio no Concurso Internacional ARD de Munique e em 1982 o 1º Prêmio e Medalha de Ouro no Concurso Tchaikovsky de Moscou, Meneses apresenta-se regularmente com as mais importantes orquestras do mundo: a Filarmônica de Berlim, a Sinfônica de Londres, a Sinfônica da BBC, a do Concertgebouw de Amesterdã, a Filarmônica de São Petersburgo, a Filarmônica de Israel, a Filarmônica de Nova Iorque, entre outras.

Entre os distintos maestros com quem colaborou, contam-se Herbert von Karajan, Riccardo Muti, Mariss Jansons, Claudio Abbado, Mstislav Rostropovich e Riccardo Chailly. Além de cumprir sua agenda de concertos, ministra cursos de aperfeiçoamento na Europa, Américas e Japão, sendo também professor titular de violoncelo na Hochschule der Künste de Berna, Suíça desde 2007 e ministra master-classes mensais na Academia Stauffer de Cremona, Itália.

O violoncelista é também um convidado regular de importantes festivais de música, incluindo o Festival de Salzburgo, Lucerna, Viena, Berlim, Praga (Festival de Primavera) e Mostly Mozart (Nova Iorque). Sua grande discografia inclui gravações para a Deutsche Grammophon com Herbert von Karajan e a Orquestra Filarmônica de Berlim.

Gravou também com a Orquestra Sinfônica da Basileia e com a Orquestra de Câmara de Munique (Pan Classics). Ministra cursos de aperfeiçoamento na Europa, Américas e Japão, sendo também professor titular de violoncelo na Hochschule der Künste de Berna, Suíça desde 2007 e ministra master-classes mensais na Academia Stauffer de Cremona, Itália.

 

Orquestra Petrobras Sinfônica

Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa um lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra conta com uma formação de mais de 80 instrumentistas e tem como Diretor Artístico e Regente Titular o maestro Isaac Karabtchevsky, o mais respeitado regente brasileiro e um nome consagrado no panorama internacional.

Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra a orquestra, possui uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.

Sobre a PETROBRAS: A Petrobras completa 34 anos de patrocínio da Orquestra Petrobras Sinfônica em 2019. Uma parceria essencial para mantê-la entre os principais conjuntos da América Latina, sempre desenvolvendo um importante trabalho de democratização da música clássica e de renovação do público do gênero.

Outros apoios e patrocínios: A Petrobras Sinfônica conta ainda com os apoios culturais de: UCI, Consulado da Argentina, Windsor Hotéis, Rádio MEC FM e JLT Brasil.

 

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.