LateralNotícia

Sílvio Viegas rege OSB na abertura do Rock in Rio

Em espetáculo exclusivo, concerto dedicado ao rock abre o maior festival de música e entretenimento do planeta.

 

No dia 27 de setembro de 2019 começa o Rock in Rio. Durante sete dias de festa são esperadas 700 mil pessoas na Cidade do Rock, instalada no Parque Olímpico, o cenário para shows de grandes nomes da música nacional e internacional. Para a abertura do festival, o maestro Sílvio Viegas foi convidado a reger a Orquestra Sinfônica Brasileira, no Palco Mundo, onde sobem também, neste dia de estreia, os artistas Drake, Ellie Goulding, Bebe Rexha e Alok.

Suíte do Rock” é o título do concerto, executado por 68 músicos, sob a condução de Viegas. No espetáculo exclusivo, um medley com 25 clássicos que marcaram a história do Rock in Rio, desde a sua primeira edição, em 1985. Entre os solos que serão apresentados, estão:  You’ve got a friend (James Taylor), no trompete; Every breath you take (The Police), no saxofone; e a emblemática Love of my life (Queen), que marcou não apenas a trajetória do Rock in Rio, mas a vida de milhares de pessoas, e será exibida em um solo de oboé de tirar o fôlego.

Ainda do Queen, e desta vez com toda a Orquestra, Bohemian Rhapsody. Também estão no set lit: Help (Beatles), Satisfaction (Rolling Stones), Loosing my religion (R.E.M), Sweet child of mine (Guns N’ Roses), Viva la vida (Cold Play), Fear of the dark (Iron Maiden), Pro Dia Nascer Feliz (Cazuza e Frejat), Será (Legião Urbana), Tempos Modernos (Lulu Santos) e Pintura Íntima (Kid Abelha), entre outros sucessos. E, claro, a canção-tema do Rock in Rio, da autoria de Eduardo Souto Neto, que também participou da elaboração do repertório do concerto.

O conceito de uma orquestra tem muita sintonia com tudo o que o Rock in Rio traz do seu movimento ‘Todos Por Um Mundo Melhor’, que é conectar pessoas por um mesmo propósito e usar a música como impulsionadora de conteúdo. Para nós, músicos, é uma forma de reunirmos um grande número de artistas no palco com um mesmo objetivo. Nesta edição levaremos o rock tocado de uma forma diferenciada para o público. Canções que eles estão tão habituados, mas com uma sonoridade nova. Será impactante para todos”, garante o maestro.

A expectativa é enorme! Fazemos concertos ao ar livre e para plateias grandes, mas, desta vez, será diferente. Teremos um público de cerca de 100 mil pessoas e ainda haverá a transmissão ao vivo para diversos países. Fazer parte dessa história, reger a Orquestra Sinfônica Brasileira, a mais tradicional orquestra do nosso país, em um evento tão importante, é motivo de muito orgulho para qualquer regente e não seria diferente para mim“, compartilha Sílvio, acrescentando: “como mineiro e Maestro Titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais fico muito feliz de poder representar meu Estado e levar o nome da minha Orquestra ao palco do maior evento de música do mundo“.

 

Sílvio Viegas

 

Sílvio Viegas

Mineiro de Belo Horizonte, Sílvio Viegas é o regente titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, desde 2016, e Professor de Regência na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Estudou regência na Itália e é Mestre pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Foi Maestro Titular da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e Professor de Regência na Escola de Música da UFMG, Diretor Artístico da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes, em Belo Horizonte, e do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Destacou-se por sua atuação na ópera, tendo em seu currículo mais de 30 títulos, como Salomé, O Navio Fantasma, L’Italiana in Algeri, O Barbeiro de Sevilha, Così fan Tutte, As Bodas de Fígaro, A Flauta Mágica, La Bohème, Tosca, Carmen, Cavalleria Rusticana, I Pagliacci, Nabucco, Il Trovatore, Falstaff, Otello, Romeu e Julieta, Don Pasquale, L’Elisir D’Amore, Lucia di Lammermoor, Norma, Porgy and Bess, entre outros. Foi considerado o melhor regente de ópera pela crítica especializada do portal Movimento.com e já obteve o primeiro lugar no Concurso Nacional “Jovens Maestros”, organizado pela Orquestra Sinfônica Brasileira, no Rio de Janeiro.

Atualmente, é um dos maestros mais respeitados da América do Sul. Neste ano, completou 50 anos de idade e comemora 25 anos de carreira. De alguma forma, o início de sua trajetória está conectado com o trabalho de Eduardo Souto Neto, compositor do tema do Rock in Rio e do tema da Vitória, música dedicada ao sucesso de Ayrton Senna em suas corridas.

Isso porque o primeiro concerto que o maestro Viegas realizou profissionalmente foi na mesma manhã de domingo em que Ayrton Senna sofreu seu acidente fatal. Além da música, possui outras duas paixões: cozinhar e correr – já participou de mais de 50 provas de corrida de rua, de trilha e de Aventura, entre elas a Meia Maratona do Rio de Janeiro e a de Nova York, nos Estados Unidos.

Como maestro convidado, esteve à frente da Orquestra do Teatro Arena de Verona e Sinfonica di Roma (Itália), da Orquestra Sinfônica de Burgas (Bulgária), Orquestra Sinfônica do Festival Szeged (Hungria), Orquestra do Algarve (Portugal), Orquestra e o Coro Estables del Teatro Argentino de La Plata e Orquesta y Coro Estables del Teatro Colón (Argentina), Orquesta Filarmónica de Montevidéo – Teatro Solis e Coro Nacional e Orquesta Sinfónica del Sodre (Uruguai), Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo (Brasil), dentre outras.

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.