CantoLateralMúsica coralProgramaçãoSão Paulo

Coral Jovem do Estado realiza Semana do Canto

De 3 a 6 de outubro, o Coral Jovem do Estado convida músicos e regentes para uma série de concertos gratuitos em vários locais.

 O Coral Jovem do Estado de São Paulo, grupo de formação ligado à EMESP Tom Jobim – instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – dá continuidade à sua temporada comemorativa de 40 anos no mês de outubro com a realização da Semana do Canto no Theatro São Pedro, Teatro Aliança Francesa, Sala São Paulo e Páteo do Collégio.

O grupo formado por 44 bolsistas fixos, alunas e alunos da EMESP Tom Jobim, se dividirá em três núcleos – popular, barroco e lírico, para apresentar programas distintos com participação de músicos e regentes convidados. Em Música Líquida, o núcleo popular do Coral Jovem convida o poeta Arruda, o compositor Caio Chiarini e os cantores-criadores Pedro Iaco e Zuza Gonçalves, para uma incursão no universo do jazz brasileiro, da improvisação livre e das interações entre música e poesia. Alinhavando as canções e improvisos surge como mote o elemento água e as suas relações com música, voz e corpo. A lua, os fluidos corporais, as marés, os rios e peixes são alguns dos desdobramentos deste mote através do roteiro. O programa terá regência de Tiago Pinheiro de Souza e preparação vocal de Marília Vargas.

Já o núcleo barroco do Coral Jovem recebe o maestro Luís Otávio Santos para reger um programa a partir da obra Musikalische Exequien, de Heinrich Schütz (1585-1672), considerado a figura central da música luterana na Alemanha do século XVII. Além da obra de Schütz, o coro vai interpretar as peças O Magnum Mysterium, de Tomás Luís de Victoria, e Exultate Deo, de Giovanni Pierluigi da Palestrina, com regência, pela primeira vez, de Marília Vargas, soprano e preparadora vocal do Coral.

No programa (Ao) Ar Livre: canções, valsas e quartetos vocais, o núcleo lírico do Coral Jovem cantará obras de Brahms, Mendelssohn, Widmer e Gallet. (Ao) ar livre simboliza os ambientes, físicos e psicológicos, populares e joviais e suas relações com o tema da liberdade. Essa performance é o resultado do trabalho desenvolvido pelo grupo e pela pianista Sin Ae Lee, em parceria com o pianista e diretor musical Ricardo Ballestero.

O Coral Jovem do Estado é composto por vozes soprano, contralto, tenor e baixo. Reestruturado há quatro anos, além do fundamental repertório lírico, o grupo passou a explorar a música antiga e a música popular. Outro diferencial é a proposta artístico-pedagógica que vai além do canto e permite apresentações dinâmicas e com repertório eclético. Essa diversidade, aliada à oportunidade de transitar do canto barroco ao popular ao lado de importantes solistas, arranjadores e grupos, proporciona aos jovens cantores uma formação de maior abrangência técnica e intelectual, transformando-os em artistas capazes de explorar seus corpos e vozes de forma mais criativa e precisa.

 

PROGRAMA 1

Música Líquida
Núcleo Popular do Coral Jovem do Estado
Tiago Pinheiro de Souza, regência e direção musical
Marília Vargas, preparação vocal

Pedro Iaco
Apalache
Anjo agreste
Franciscana

Pedro Iaco e Guinga
Nó de marinheiro
Arranjo de Amanda Temponi

Pedro Iaco
Rio Escuro

Caio Chiarini 
Insanna
Nino pane e vino

Caio Chiarini e Lucy Savassa 
Noite de lua vermelha

Caio Chiarini e Guilherme Furtado
Palhaça

Peri Pane e Arruda 
O sono dos peixes

Lucina e Arruda 
E faz dançar as marés
Arranjo de Amanda Temponi

Carcaju 
Mergulho
Arranjo de Amanda Temponi

Cláudia Dantas 
Menstruluar
Arranjo de Juliana Ripke

Tradicional brasileiro
A lua girou

Cláudio Nucci 
Os Rios
Arranjo de Vinícius Ribeiro

Caio Chiarini e Arruda 
Saliva doce

 

Dia 03 de outubro, quinta-feira, às 20h

Theatro São Pedro (Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP – 3661 6600)

Entrada franca

Retirada de ingressos com 1h30 de antecedência

 

Dia 6 de outubro, domingo, às 17h

Teatro Aliança Francesa (Rua General Jardim, 182 – Vila Buarque, São Paulo/SP)

Entrada gratuita

 

PROGRAMA 2

Musikalisches exequiem
Núcleo Barroco do Coral Jovem do Estado
Luís Otávio Santos, regência
Marília Vargas, regência e preparação vocal

Tomás Luis de Victoria  (1548-1611)
O Magnum Mysterium*

Giovanni Pierluigi da Palestrina (1525-1594)
Exultate deo*

Heinrich Schütz  (1585-1672)
Aus der Tiefe ruf ich, Herr, zu dir (Salmos de David SWV 25)
Das ist je gewisslich wahr (SWV 388)
Musikalisches Exequiem (1636)

 

Dia 04 de outubro, sexta-feira, às 20h

Theatro São Pedro (Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP – 3661 6600)

Entrada gratuita

Retirada de ingressos com 1h30 de antecedência

 

Dia 6 de outubro, domingo, às 11h

Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes, s/no. – Campos Elíseos – 3223 3966)

Entrada gratuita

Retirada de ingressos com 1h30 de antecedência

 

 PROGRAMA 3

(Ao) Ar Livre: canções, valsas e quartetos vocais

Núcleo Lírico do Coral Jovem do Estado
Ricardo Ballestero, regência
Marília Vargas, preparação vocal

1 – Encontros e desencontros

Johannes Brahms  (1833-1897)
Ständchen
Ach, englische Schäferin
Es steht ein Lind Vergebliches Ständchen  

2 – Ao ar livre

Felix Mendelssohn-Bartholdy  (1809-1847)
Im Grünen
RuhetalJagdlied  

3 – Valsas Românticas

Johannes Brahms  (1833-1897)
Rede, Mädchen, allzu liebes
Am Gesteine rauscht die Flut
Am Donaustrande
O wie sanft die Quelle sich
Nein, es ist nicht auszukommen
Schlosser auf, und mache Schlösser 

4 – Dezesseis Melodias do Passado com Acompanhamento Novo

Ernst Widmer (1927-1990)
Araponga errante
Garça parda, leviana
Ô viageiro
Na beira da praia
Bendito
Ô, seu marinheiro
Da pinheira nasce a pinha
Interlúdio
As duas flores
Se eu fora poeta
Na Praia Deserta
Amanhã
Amanhã (2ª versão)
As saudades do meu bem
Courana
Qual quebra
Linda entre mil 

5 – Canções da terra

Luciano Gallet  (1893-1931)
Sertaneja
Luar do Sertão
Toca-zumba

 

Dia 05 de outubro, sábado, às 20h

Theatro São Pedro (Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP – 3661 6600)

Entrada gratuita

Retirada de ingressos com 1h30 de antecedência

 

Dia 6 de outubro, domingo, às 14h

Páteo do Collégio

Entrada gratuita

 


Tiago Pinheiro de Souza,
regência

Graduado clarinetista, especializou-se em canto na Berklee College of Music. Dirigiu o grupo Beijo do Coralusp que, nas décadas de 80 e 90, investiu na pesquisa de interação cênica-musical em seus espetáculos e realizou parcerias com artistas como Marlui Miranda e Gilberto Gil, além de registros fonográficos e turnês nacionais e internacionais. Foi solista em diversas obras sinfônicas, entre as quais: Carmina Burana, de C. Orff, e Paixão segundo São João, de J.S.Bach. Integrou o coro da OSESP entre 2000 e 2001. Foi regente titular do Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo. É regente titular do Coral Jovem do Estado desde fevereiro de 2015, quando iniciou uma reformulação artística no grupo.


Marília Vargas,
preparação vocal e regência

Uma das mais ativas sopranos brasileiras de sua geração, formou-se na Schola Cantorum Basiliensis (Suíça) e obteve o Konzert Diplom na classe de Christoph Prégardien, no Conservatório de Zurique (Suíça). Tem sido professora convidada de importantes festivais de música e universidades do Brasil e do mundo. Seus dois álbuns solo “Todo amor desta terra” e ”Tempo breve que passaste: Modinhas Brasileiras” estão esgotados. Marília Vargas é também professora de Canto Barroco da EMESP Tom Jobim, preparadora vocal do Coral Jovem do Estado e professora da Oficina de Música Barroca da Escola Municipal de Música de São Paulo.


Luís Otávio Santos,
violino e regência

Doutor em música pela Unicamp, obteve graduação e mestrado em violino barroco pelo Conservatório de Haia (Holanda), com Sigiswald Kuijken. Seu CD Sonatas para violino de J. M. Leclair venceu o prêmio Diapason d’Or na França, em 2005. Em 2007, recebeu o título de Comendador da Ordem do Mérito Cultural, concedido pelo Ministério da Cultura. Foi diretor artístico nas 25 edições do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora. Foi eleito pela revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes de 2011. É fundador do Núcleo de Música Antiga da EMESP Tom Jobim.


Ricardo Ballestero,
piano e regência

Discípulo de Martin Katz e Dalton Baldwin, dedica sua carreira à colaboração musical. Atuou ao lado de Ray Chen, Paulo Szot, Hansjörg Schellenberger, Atar Arad e Alex Klein e de muitos dos mais renomados músicos brasileiros. Foi professor da Universidade do Colorado-Boulder e, desde 2006, leciona disciplinas ligadas ao canto, piano e música de câmara na Universidade de São Paulo.  


Coral Jovem do Estado

Formado atualmente por 44 bolsistas e ligado à Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim), o Coral Jovem do Estado foi criado em 1979 durante o 10° Festival de Inverno de Campos do Jordão.  Ao longo de sua história, esteve sob a regência de Bruno Wyzuj, Jonas Christensen, Diogo Pacheco, Victor Gabriel, Marcos Leite, Daltson Takeuti, Juan Serrano, Martha Herr, José Ferraz de Toledo e Naomi Munakata, sempre ao lado das mais importantes orquestras sinfônicas e conjuntos instrumentais do Estado. Tem como finalidade principal contribuir na educação e desenvolvimento de seus integrantes, aprimorando seu nível técnico e artístico para que se tornem os futuros profissionais da área. O Coral é um dos grupos de difusão e formação musical da EMESP Tom Jobim, escola do Governo de São Paulo gerida pela Santa Marcelina Cultura.


Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim

Com 30 anos de atuação, a Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim) tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio.

Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades.

A EMESP mantém os grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim que oferecem bolsas para os alunos da Escola. A EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.


Grupo Verzani & Sandrini

Fundado em 1967, o Grupo Verzani & Sandrini tornou-se referência nacional na prestação de serviços. Composto atualmente pelas empresas VS Serviços, VS Segurança, VS Tech, VS Parking, Veman e JR Higienização, a organização opera em todo o Brasil e conta atualmente com 37 mil colaboradores. O Grupo VS dedica-se a desenvolver soluções completas, baseadas em altos padrões de qualidade e ampla tecnologia. Com uma estrutura sólida baseada em responsabilidade social, capacitação profissional e excelência no atendimento, a companhia mantém uma trajetória de sucesso e garante a satisfação de clientes e colaboradores.


Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim).

O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatr

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.