LateralMúsica de câmaraProgramaçãoRio de JaneiroSão Paulo

Duo Baldini-Barreto em São Paulo e no Rio

O Ministério da Cidadania e Funarte apresentam, dentro do projeto “Rede Nacional de Música“, a estreia do duo formado por Emmanuele Baldini (violino) e Lílian Barretto (piano), dia 16 de outubro, em São Paulo, e 17 de outubro no Rio de Janeiro, sempre às 19 horas. No programa, Clara Schumann, Fauré, Villa-Lobos e Piazzolla. Realização da FUNARTE, este série oferece música clássica a preços populares.

PROGRAMA

Clara Schumann
Romance nº 1 op. 22

Gabriel Fauré
Sonata em Lá Maior op.13

Villa-Lobos
O canto do cisne negro

Piazzolla
Adios Nonino
Libertango

SERVIÇO

 

Duo Baldini-Barreto na “Rede Nacional de Música

EM SÃO PAULO

Dia 16 de outubro, quarta-feira, às 19h

Espaço Funarte – Sala Guiomar Novaes (Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos – São Paulo – 3662-5177)

Ingressos: R$ 4,00 e R$ 2,00

NO RIO DE JANEIRO

Dia 17 de outubro, quinta-feira, às 19h

Teatro Dulcina (Rua Alcindo Guanabara, 17 – Centro – Rio – 2240 4879)
(Próximo ao VLT e ao Metrô Cinelândia)

Ingressos: R$ 4,00 e R$ 2,00

 

Emmanuele Baldini – violino

Nasceu em Trieste (Itália) cercado pela música: seu pai, Lorenzo Baldini, foi um importante pianista e professor; e sua mãe, Eletta Baldini, foi professora de teoria e solfejo no conservatório da sua cidade, além de ser uma formidável pianista também. Depois dos estudos em Trieste com Bruno Polli, Baldini se aperfeiçoou em Genebra com Corrado Romano, em Salisburgo e Berlim com Ruggiero Ricci, e mais recentemente na regência com Isaac Karabtchevsky e Frank Shipway.

Desde sua adolescência, ganhou inúmeros concursos internacionais, entre os quais se destacam o “Premier Prix de Virtuosité avec Distinction” em Genebra, o “Forum Junger Künstler” em Viena e mais dez concursos para solistas ou em grupos de câmara. Baldini tocou como solista ou em duo pelo mundo inteiro, com cinco turnês no Japão, quatro nos EUA, uma na Austrália, e já se apresentou em todas as principais salas de concerto das capitais europeias, além da América latina, e principalmente no Brasil, que escolheu em 2005 como sua residência.

Sua incansável curiosidade e paixão pela música fez com que ampliasse seus horizontes, e depois de uma carreira notável como violinista (com mais de 20 CD gravados, quase 40 concertos diferentes em seu repertório e todas as Sonatas mais importantes para violino), começou a se aperfeiçoar como regente, fundou o Quarteto Osesp (com os chefes de naipe da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, da qual é “spalla”), intensificou sua atividade didática e, com o violino, começou a explorar o precioso repertório brasileiro, em parte injustamente desconhecido.

Dentre suas colaborações musicais constam artistas de fama mundial, como Maria-João Pires, Jean-Philippe Collard, Antônio Meneses, Fábio Zanon, Caio Pagano, Jean-Efflam Bavouzet, Ricardo Castro, Nicholas Angelich, entre outros. O saudoso Maestro Claudio Abbado, escreveu do Baldini: “Estou impressionado tanto pela sua profundidade musical quanto pelo nível técnico.”

Na Itália, Baldini foi “spalla” da Orchestra del Teatro Comunale di Bologna, Orchestra del Teatro alla Scala di Milano, e a Orchestra del Teatro “Giuseppe Verdi” di Trieste, e desde 2005 é “spalla” titular da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Como convidado, foi “spalla” também da Orquestra Sinfônica da Galícia, na Espanha.

Como regente, destacam-se concertos no Teatro Colón de Buenos Aires, no Teatro del Sodre de Montevidéu, e apresentações com as principais orquestras da América Latina. Desde 2017, é diretor musical da Orquestra de Câmara de Valdivia, no Chile, começando assim um novo capítulo de sua atividade multifacetada.

Lílian Barreto – piano

Lílian estudou no Brasil com Gilberto Tinetti, Glória Maria Fonseca Costa e Jacques Klein. No exterior, fez parte da classe do prof. Jan Ekier, na Universidade de Música Frédéric Chopin em Varsóvia, Polônia. Foi vencedora de inúmeros Concursos Nacionais de Piano, entre eles, o Concurso Nacional de Piano da Bahia onde ganhou a bolsa de estudos para estudar na Polônia.

Recebeu do Ministério da Cultura da Polônia a Medalha de Ordem ao Mérito. Participou do Congresso de Mulheres Musicistas em Paris e, por dois anos consecutivos, realizou estágio de produção artística na Royal Opera House, em Londres.

Além de sua carreira como solista e camerista, foi coordenadora de música da Funarte, diretora de programação da Funarj, diretora da Sala Cecília Meireles e por 17 anos diretora artística do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

No Brasil, tocou sob a regência de Isaac Karabtchevsky, Simon Blech, David Machado, Júlio Medaglia, Roberto Duarte, Diogo Pacheco, Alceu Bocchino, Roberto Tibiriçá e muitos outros. Como camerista, realiza intensa atividade, tendo tocado com o Quarteto de Colônia, o tenor Aldo Baldin, o oboísta Alex Klein, e o bandoneonista argentino Daniel Binelli, além dos duos permanentes com a pianista Linda Bustani e a bailarina Ana Botafogo.

Em 2001, foi jurada do Concurso Internacional de Piano Vianna da Motta, em Lisboa. Nos anos seguintes, apresentou-se no Festival du Château de la Follie, Bélgica, no Festival Liszt de Grottamare, no Festival de Música de Rapallo, no Amiata Piano Festival, no Festival Les Nuits Pianistiques, em Marselha, França, tocando Mozart com a Orquestra Filarmônica de Baden-Baden, sob a regência do maestro Werner Stiefel, e no Musée Debussy em Saint-Germain-en–Laye, França.

Gravou o DVD Ana Botafogo e Lílian Barretto em Três Momentos do Amor, gravado ao vivo no Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 2006 e vários CDs com renomados solistas. Desde 2009, é a diretora artística do Concurso Internacional BNDES de Piano do Rio de Janeiro. Em 2019, estará em novembro no Júri do Concurso Internacional Paderevsky na Polônia.

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.