Magnificat, de Bach, pela Osesp

Escrito por em 15 jul 2011 nas áreas Crítica

A maioria das partituras renascentistas alterna a polifonia com versos cantados monofonicamente sobre cantochão ou música instrumental.

Comentários sobre o Prêmio Carlos Gomes 2011

Escrito por em 12 jul 2011 nas áreas Crítica

A Sala São Paulo teve o privilégio de receber a entrega do XIV Prêmio Carlos Gomes de Ópera e Música Clássica.

Beethoven e Chopin no Theatro São Pedro – SP

Escrito por em 11 jul 2011 nas áreas Crítica, Música sinfônica

O feriado de nove de Julho e a fria noite paulistana são motivos de sobra para esvaziar um concerto. Mas não foi isso que aconteceu no pequeno e aconchegante Theatro São Pedro.

Gustavo Dudamel conquista o Rio

Escrito por em 24 jun 2011 nas áreas Crítica, Música sinfônica

Em turnê buy generic viagra from india pela América do Sul, depois de passar por Salvador, São Paulo e Paulínia, Gustavo Dudamel, sem dúvida o mais celebrado regente da nova geração, conquistou o Rio de Janeiro.

Apenas um rapaz latino-americano

Escrito por em 24 jun 2011 nas áreas Crítica, Música sinfônica

Público carioca prestigia Orquestra Sinfônica Simon Bolívar e Gustavo Dudamel.

Missa de Requiem, de Verdi, pela OSESP

Escrito por em 30 maio 2011 nas áreas Crítica

Neste último domingo, em récita vesperal às 17 horas na Sala São Paulo, assistimos à apresentação da Missa de Requiem, de Verdi. Exatamente a 22 de maio de 1873, falecia uma das maiores glórias da Itália: Alessandro Manzoni, poeta e autor do famoso romance “I Promessi Sposi” (“Os Noivos”).

Em Manaus, Isolda e seu Tristão

Escrito por em 24 maio 2011 nas áreas Crítica, Ópera

ordine nazionale dottori commercialisti Produção simples, mas criativa, tem bom resultado nos 15 anos do Festival Amazonas de Ópera. Tristan und Isolde (Tristão e Isolda), ópera (ou drama musical, como preferirem) em três atos de Wilhelm Richard Wagner sobre libreto do próprio compositor, com base num romance em versos de Gottfried von Strassburg, por sua vez baseado numa versão francesa da famosa lenda medieval, teve duas récitas no Teatro Amazonas pelo XV Festival Amazonas de Ópera.

No Rio, Lucia di Lammermoor vira Lucia alla Renault

Escrito por em 16 maio 2011 nas áreas Crítica, Ópera

Encenação deixa a desejar novamente e soprano Paula Almerares destaca-se como a protagonista.

Lucia de Lammermoor: 14 e 15.05 no TMRJ

Escrito por em 16 maio 2011 nas áreas Crítica, Ópera

p>A situação de crise e polêmica criada nestes últimos dias no ambiente musical do Rio de Janeiro, provocada pela saída do diretor artístico do TMRJ Roberto Minczuk, pelas sérias divergências com  instrumentistas da OSB e por muitas outras querelas, com demissões e requisição de exames de suficiência daqueles musicistas, é marcada por um estado de ânimo nada positivo, que se refletiu nas duas récitas iniciais da ópera LUCIA DI LAMMERMOOR, de Donizetti, encenadas a 14 e 15 de maio corrente no TMRJ.

A Lucia, de Donizetti, no Municipal do Rio

Escrito por em 16 maio 2011 nas áreas Crítica, Ópera

O interesse que desperta no público ainda hoje e desde 1835, quando a ópera estreou no Teatro San Carlo de Napoli, é conferir a agilidade e a técnica do soprano de coloratura que interpreta a Lucia, verdadeiro marco na história da ópera, que é esse personagem. Vários sopranos ficaram famosos nesse papel: A. Galli Cursi, Mado Robin, Lilly Pons, Maria Callas, Beverly Sills e Joan Shuterland. No Brasil Bidu Sayão e Niza de Castro Tank.